Quadro Acadêmico

Membros da AGL em março de 2020

Membros Fundadores

Gileide Barbosa

Primeira ocupante da Cadeira nº 01, cujo Patrono é o escritor sergipano Alcino Alves Costa. Gileide Barbosa de Souza Santos, nascida aos 24 de setembro de 1960, na cidade de São Miguel do Aleixo (SE), a partir dos oito anos de idade passou a residir em Feira Nova (SE). Filha de Pedro Barbosa de Souza e Josefina Francisca de Souza. Casada com Sildeno Dantas dos Santos, mãe de três filhos, avó de duas netas. Jornalista (DRT 847/SE), publicitária e interior designer (UNIT), artesã, especialização em marketing (UFS) e didática do ensino superior (UFJF/Pio X). Divide seus dias entre Aracaju e a cidade de Feira Nova, com residência fixa em ambas. É aposentada pelo Instituto Banese, onde participou da instalação do Museu da Gente Sergipana, como diretora administrativa e financeira. Desde cedo foi incentivada por seus pais, a enveredar pelo mundo das artes e das letras, manifestações circenses e apresentações da cultura popular. Em Feira Nova, cidade que a tem como filha, cursou o ensino fundamental, na Escola Estadual Maria Montessori, ocupando o quadro de professores do ensino fundamental e médio. Foi professora da educação para adultos, no antigo Movimento Brasileiro de Alfabetização; funcionária do Banco Econômico S/A; e secretária municipal. Participou como coautora do grupo de teatro para jovens (UNIDAL), que elevou o nome da cidade com o apoio do dramaturgo sergipano, Severo D'Acelino. Autora do projeto Feira Cultural de Feira Nova, que reconhece os talentos da terra, nos segmentos da arte, cultura e literatura (edições em vigor). Em Nossa Senhora da Glória cursou o ensino médio, no Colégio Nossa Senhora da Glória, cuja ligação com o município criou laços infindáveis. Em Nossa Senhora das Dores, continuou o ensino médio, no Colégio Cenecista Francisco Porto e na Escola Estadual General Calasans, cursou Admissão ao Estudo da Língua Portuguesa (DRE5/UFS). Participou como colaboradora do Caderno Municípios (Jornal Cinform). Como funcionária do Banese, ocupou a diretoria de comunicação da Associação Atlética Banese; e na Caixa de Assistência dos Empregados do Banese, foi diretora de promoção à saúde e relacionamento com associados. Como gestora da área de comunicação do Banese, atuou como jornalista responsável coeditor do Informativo Minuto Banese; e da Revista AABanese News; participou da formatação do Prêmio Banese de Música; e do Projeto Verão Banese; projeto "O Clube vai ao Interior" e "Sexta no Clube" (AABanese). Com a aposentadoria, criou a empresa virtual @donafinaarts (onde produz artesanato sergipano); e o Clube de Leitura Papos e Livros (virtual). Tem participado, desde 2017, como coautora em diversas antologias poéticas, tais como: II e III, Encontro de Escritores Monte Alegrenses e Convidados; VII Encontro Canideense de Escritores e Convidados; VI Antologia EGEL (Encontro de Escritores Glorienses de Leitores); II Antologia Casadense; Antologia Natal com Poesia; I Antologia Vidas sem Preconceitos; II Antologia do Encontro de Escritores e Leitores Portofolhenses e Convidados; Encantos Nordestinos (em lançamento); dentre outros escritos aguardando publicações.

Ancelmo Aragão 

Primeiro ocupante da Cadeira nº 02, cujo Patrono é o escritor sergipano Luiz Antônio Barreto. Natural do Povoado Tanque de Pedra, em N. Sra. da Glória (SE). Graduado em História pela UNIT, Pós-graduado em História do Brasil, pela UCAM, Pós-graduado em Psicopedagogia e Educação Especial, pela Faculdade Dom Alberto - 2020, Pós-graduado em Educação Musical, pela Faculdade Dom Alberto - 2020, músico profissional OMB/SE, compositor, professor de música e poeta. Integrou duas antologias poéticas que vieram a público em 2011: "Retalhos" e "Unidos na Fé". Depois disso, participou de diversas antologias poéticas: "Olhares Diversos" (2013), "Um Sertão de Escritores, Uma Glória de Leitores" (2015), "3º Encontro Sergipano de Escritores" (2015), "1º Encontro Sertanejo de Escritores - Sertão Leitor" (2016) e "3º Encontro de Escritores Canindeenses e Convidados" (2016), IV Selete Encontro Sergipanos de escritores - 2016, IV Encontro Canindeense de escritores - 2017, Antologia EGEL - 2017, II Encontro Sertanejo - 2017,II Encontro EGEL - 2017, Antologia EGEL - 2018, 50 poemas Essenciais - 2018, Gota de Luz - 2018, Livro solo: Véu de Segredos - 2019. pesquisador, e colaborador da Revista Mais Glória. Tem atuado no desenvolvimento e na descoberta de novos talentos musicais, ministrando aulas particulares de teoria musical, violão erudito e popular e flauta doce. E-mail: ancelmoviolaoepoesia@gmail.com

Ramon Diego

Primeiro ocupante da Cadeira nº 03, cujo Patrono é o poeta paraibano Augusto dos Anjos. Natural de Sousa (PB). Estudante de Letras português/francês da UFS, escritor, poeta, comendador da Academia de Artes de Cabo frio (RJ), editor da revista eletrônica Impressões e agente cultural da Associação Cultural Sertão na Arte. Possui textos publicados em diversos jornais de Sergipe, como O Correio de Sergipe, Jornal da Cidade e Folha da Praia e é ex-colaborador do jornal Folha do Iguaçu (PR). Teve parte de sua obra poética publicada nas antologias Retalhos (2011), Versos soprados pelos ventos de outono (2012), pela Big Time Editora (SP), assim como na antologia Toc 140, realizada pela FLIPORTO (Festa Literária Internacional de Pernambuco). E-mail: ramomdiegosergipe@hotmail.com

Jorge Henrique

Primeiro ocupante da Cadeira nº 04, cuja Patronesse é a poeta sergipana Iara Vieira. Natural de N. Sra. da Glória (SE). Mestre em Letras (UFS), especialista em Mídias em Educação (UFS), licenciado em Letras (UFS) e especialista em Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa (FACINTER - PR). Professor, Poeta e membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni (MG). Tem duas obras individuais publicadas: Mutante in Sanidade (2001), seu livro de estreia, e "Glória" Cantada em Versos (2008), Literatura de cordel em que narra a história de seu município e cuja tiragem de 5.000 exemplares foi distribuída, gratuitamente, aos alunos das escolas públicas de N. Sra. da Glória. O poeta integra diversas antologias, dentre as quais se destacam o I Prêmio Banese de Literatura (2004) e a II Antologia de Poetas Lusófonos (2009), publicada na cidade de Leiria, em Portugal. Boa parte de sua obra está em diversos sites na rede mundial de computadores (Meu Verso, Poeta Jorge Henrique, Overmundo). E-mail: poetajorge@gmail.com

Edson Bastos

Primeiro ocupante da Cadeira nº 05, cuja Patronesse é a educadora sergipana Laura Amazonas. Natural de Aracaju (SE). Licenciado e Graduado em Geografia pela UFS, Especialista em Geotecnologias pelo Instituto Federal de Educação Tecnológica de Sergipe. Atua na área de Cartografia e Geoinformação aplicados à Gestão Pública, como Técnico em Reforma e Desenvolvimento Agrário no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária em Sergipe. Em 2011, participou da criação do projeto Observatório de Sergipe, respondendo pela Diretoria Geral de Geografia e Cartografia da Superintendência de Estudos e Pesquisas, vinculada à Secretaria de Estado do Planejamento Orçamento e Gestão. Estudante de Flauta transversal, participou da Banda Interescolar da Secretaria de Educação (SecBanda), no período de 1999 a 2001, e estudou no Conservatório de Música do Estado de Sergipe. Poeta, integrou o projeto literário Um Sopro em Versos: Memória e Poesia (2009), de autoria de Euvaldo Lima dos Reis. No mesmo ano, integrou a antologia Unidos na Fé. Embora não apresente uma trajetória literária bem delineada, coleciona poemas nascidos na tessitura de sua própria vivência cotidiana, abordando aspectos da vida familiar, do lugar do ser humano no mundo, de inclinação espiritualista e filosófica. É colaborador da Revista Mais Glória, na qual mantém uma coluna sobre cultura e desenvolvimento municipal. E-mail: eddjunior@yahoo.com.br

Euvaldo Lima

Primeiro ocupante da Cadeira nº 06, cujo Patrono é o poeta cearense Patativa do Assaré. Natural de Feira Nova (SE). Estudante de Letras Português/Espanhol da Universidade Tiradentes, comerciante e poeta. Estreou na literatura aos 21 anos, com o lançamento de Conversão de um Jovem Ateu, o primeiro de uma série de cordéis, que se soma aos mais popularizados, Herói sem Titulo, Gotinha de Luz e Zé. Em 2008, ganhou o concurso de poesia organizado pela Federação Espírita de Sergipe com a poesia Viva Chico Xavier. Em 2009, lançou seu livro de poemas, Um sopro em Verso: Memória e Poesia (2.250 exemplares). Em 2010, no encontro cultural organizado pela Federação Espírita de Sergipe, classificou em primeiro lugar seu cordel: A peleja do instinto contra o sentimento. Também integrou as antologias Retalhos e Unidos na Fé, ambas publicadas em 2011. Em 2012, classificou quatro das cinco poesias que inscreveu no concurso nacional organizado pela Gráfica e Editora Veloso, que levou a publico a Antologia Veloso 2012. Ainda em 2012, idealizou e tornou-se Editor-chefe da Revista Mais Glória, empresa do grupo Enium Interativa, Portal e Revista Mais Glória. E-mail: euvaldolima_13@hotmail.com.

Francisco Vasconcelos

Primeiro ocupante da Cadeira nº 07, cujo Patrono é o escritor carioca Malba Tahan. Natural de Santana do Acaraú (Ceará). Graduado em Direito, especialista em Administração de Pequenas e Médias Empresas, Didática do Ensino Superior, Gestão Escolar e Língua Portuguesa. Funcionário aposentado do Banco do Brasil, Advogado (OAB-SE 2412), jornalista (DRT-SE 956), radialista (DRT-BA 4869), revisor, colunista, palestrante, consultor gramatical e membro do MAC da Academia Sergipana de Letras, ocupante da Cadeira nº 13, cujo patrono é o poeta Clodoaldo de Alencar. Durante os oito anos de sua permanência em N. Sra. da Glória (de 1968 a 1976), exerceu o magistério e, em 1969, fez parte do grupo de professores que fundou o Ginásio Comunitário Dom José Vicente Távora, do qual foi o primeiro Coordenador. Em 2001, apresentou o programa Educação & Cultura na TV Cidade, em Aracaju. Em 2007, lecionou Ética e Direito Constitucional, na Faculdade de Ciências Jurídicas de Alagoas. Solicitou o desligamento da AGL em novembro de 2014, deixando vaga a Cadeira nº 07.

Verônica Sales

Primeira ocupante da Cadeira nº 08, cujo Patrono é Tobias Barreto. Natural de N. Sra. da Glória (SE). Mestranda em Ciências da Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia (Portugal), especialista em Educação Desenvolvimento e Politicas Educativas pelo Centro Integrado de Tecnologia e Pesquisa - Faculdade Nossa Senhora de Lurdes (Paraíba), Psicopedagoga Institucional pela Faculdade Atlântico e licenciada em Letras Português/Inglês pela Universidade Federal de Sergipe. É professora da rede pública municipal, onde atua desde 1996. Embora ainda seus trabalhos literários sejam inéditos, realiza incursões pela poesia de estilo intimista, escreve contos em que tematiza dramas existenciais e faz alguns experimentos com o gênero memorialista. Pretende levar a público um trabalho inaugural em 2013. E-mail: projetecmv@hotmail.com.

Membros Efetivos

Luiz Alves (Gauchinho)

Primeiro ocupante da Cadeira nº 09, cujo Patrono é o poeta sergipano João Firmino Cabral. Natural da Baixa Limpa, município de N. Sra. da Glória (SE), filho de Sebastião Alves da Silva e Sauvelina Alves da Silva. Tendo sido alfabetizado pelos seus irmãos, ainda adolescente aventura-se pelo mundo das letras e escreve seu primeiro cordel: "A luta de Sebastião pelo amor de Sauvelina", no qual narra a trajetória de vida de seus pais. Teve folhetos revisados pelo poeta Manoel d'Almeida Filho, um ícone do cordel brasileiro, e manteve um estreito laço de amizade com o grande poeta sergipano João Firmino Cabral, seu Patrono na AGL. É autor de diversos livros, segundo consta são 26 títulos publicados e 4 títulos ainda em processo de conclusão. Teve obras publicadas pela Editora Luzeiro, de São Paulo, outras pela Editora Tupynanquim, de Fortaleza, e outras foram editadas artesanalmente e publicadas pelo próprio autor. Destacam-se em sua obra: "A volta de Camões e as novas perguntas do Rei", "As proezas de seu Lunga: o rei da ignorância", "Encontro de Frei Damião com Pe. Cícero no céu", "O itabaianense valente" e "O romance do rei que voltou a palavra atrás". E-mail: gauchinhofm@gmail.com.

Domingos Pascoal

Primeiro ocupante da Cadeira nº 10, cuja Patronesse é a educadora e escritora sergipana Maria Lígia Madureira Pina. Natural da cidade de Groaíras, no noroeste de Ceará, filho de Sebastião Ximenes Melo e Lídia Ximenes de Melo, o terceiro de uma família de 12 filhos. Domingos Pascoal, formou-se em Direito, pela Unifor, pós-graduou-se em Gestão de Pessoas, atuou como advogado e professor até ser admitido, por concurso público, para servidor do TRT, onde ocupou destacadas funções, como a de diretor da secretaria da 3ª junta. Aposentado, passou a se dedicar à literatura. Atuou também como radialista e fundou o jornal O Ceará. Foi correspondente da Tribuna do Ceará, O Povo e do Diário do Nordeste. Atualmente, é articulista da revista Perfil e do portal Infonet. Em 2008, lançou o livro "Experimente Mudar". Tendo sido bem recebido pelo público e pela crítica, lançou também "A Janela Azul" e "A Mudança Começa em Você". É ainda organizador de algumas antologias, como as seletas do 1º e 2º Encontro Sergipano de Escritores e, mais recentemente, a I Antologia Loja Maçônica Cotinguiba de Conto, Crônica e Poesia. Pascoal é sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, da Associação Cearense de Escritores, da Associação Cearense de Jornalistas do Interior, da Associação Sergipana de Imprensa, sócio honorário da Academia Arapiraquense de Letras e Artes, diretor cultural da Sociedade Amigos da Marinha e ocupa também a cadeira de número 11 do Movimento de Apoio Cultural da Academia Sergipana de Letras, da qual tornou-se membro efetivo, sucedendo o escritor e poeta Mário Cabral na cadeira de nº. 17. Partidário das ideias de expansão de Luiz Antônio Barreto, Pascoal iniciou o processo de criação das academias de letras no interior de Sergipe, tornando-se seu grande incentivador e articulador. Graças ao seu incansável trabalho, Sergipe conta, em janeiro de 2015, com academias de letras em Itabaiana, Lagarto, Tobias Barreto, Laranjeiras, Nossa Senhora das Dores, a academia regional do amplo sertão sergipano e a pioneira delas, a AGL. E-mail: dpascoalmkt@gmail.com.

José Araújo

Primeiro ocupante da Cadeira de nº 11, cuja Patronesse é a educadora sergipana Ofenísia Freire. Natural de Aracaju (SE), Formado em Letras Neolatinas pela Faculdade Católica de Filosofia. Especializou-se em Filologia Românica, em Münster, na Alemanha, sob a orientação do filólogo Heinrich Lausberg. Fez curso de atualização em Língua Espanhola na cidade de Salamanca, a convite da Embaixada da Espanha. Fluente em Alemão, Francês, Espanhol, Inglês e Italiano e estudioso do Hebraico, Latim, Galego e Grego, fundou o Instituto Sergipano de Idiomas. Iniciou sua vida no magistério, ensinando Latim e Francês no Ginásio Professora Possidônia Bragança, em Laranjeiras. Lecionou em diversos colégios de Aracaju, entre os quais o Arquidiocesano Sagrado Coração de Jesus, o São José e o Colégio de Aplicação. Obteve a menção très bien avec félicitacion, da Aliança Francesa na conclusão de seu curso. Integrou a Equipe de Direção da Juventude Universitária Católica (JUC). Foi presidente do Centro Acadêmico Jackson de Figueiredo, Segundo Tesoureiro da União Estadual dos Estudantes. Participou dos congressos nacionais da UNE, em Santo André (SP) e Petrópolis (RJ). Em 1966, efetivou-se como professor da Faculdade Católica de Filosofia. Dois anos depois, quando foi criada oficialmente a Universidade Federal de Sergipe, integrou seu quadro de professores assumindo, em 1970, a cadeira de Filologia Românica. Foi diretor do Colégio de Aplicação. Coordenou durante oito anos a correção de provas de redação do concurso vestibular e, em várias ocasiões, respondeu pela direção do Departamento de Letras. Também integrou o Conselho Universitário e o Conselho de Ensino e Pesquisa e foi paraninfo de inúmeras turmas. Fundou o Núcleo de Cultura Alemã na UFS, em trabalho conjunto com o professor Heinz Dieter Heidemann. De 1975 a 1990, foi membro do Conselho Estadual de Cultura, atuando na Câmara de Letras e Artes. Fez parte do núcleo criador da ADUFS, órgão sindical dos professores da UFS. De 1978 a 1980, foi administrador estadual da Campanha das Escolas da Comunidade (CNEC). Em 1991, aposentou-se da UFS por tempo de serviço, retornando várias vezes à instituição, como Professor Substituto. Lecionou no Projeto de Qualificação Docente - PQD nos polos de Propriá, Estância, Lagarto, Itabaiana e Nossa Senhora da Glória. Em 2001, foi um dos fundadores da Associação Cultural do Sertão Sergipano (ACSER), da qual se tornou o primeiro vice-presidente. Contribuiu para o Partido dos Trabalhadores nos primeiros anos de sua implantação em Sergipe. Foi o articulador e um dos fundadores do Partido Verde em Sergipe, a convite de Fernando Gabeira. Em 1994, candidatou-se a Governador do Estado pelo PV, não foi eleito, mas foi convidado pelo Governador eleito para compor sua equipe, assumindo a Secretaria de Estado do Meio Ambiente, de 1995 a 1998. Representou Sergipe como membro do Conselho Nacional do Meio Ambiente de 1995 a 1997, ano em que foi condecorado pelo Governo do Estado com o Galardão da Grã-Cruz da Ordem do Mérito Aperipê. Foi ainda professor da Faculdade Ages, em Paripiranga, Bahia, de 2001 a 2006. É autor do livro "Língua Portuguesa: Sintaxe", adotado no curso de Letras do CESAD/UFS, na modalidade de Educação à Distância. Atualmente, é professor na Faculdade Atlântico, na Faculdade Tobias Barreto e no Seminário Nossa Senhora da Conceição da Arquidiocese de Aracaju, onde é titular das disciplinas Latim e Grego. Exerce também o cargo de Assessor da Presidência da Câmara Municipal de Aracaju, para revisão de textos. Em 2011, recebeu o título de "Professor Emérito" da UFS. Em 2013, foi nomeado, como representante da Venerável Ordem Terceira de Nossa Senhora do Monte do Carmo de Sergipe, para compor o grupo de Leigos Carmelitas que assessora o Conselho Geral da Ordem, em Roma e é, atualmente, o representante do Laicato latino-americano. Entre suas atribuições na Ordem Carmelita, além das reuniões anuais do Conselho em Roma, está a atividade de tradutor. Já traduziu "Reflexões místicas, espirituais", um livro de Jean de Saint-Samson, escritor francês do século XVII, frade carmelita (primeira tradução da obra para a língua portuguesa, de circulação interna na Ordem). Traduziu também "La pratique essentielle de l'amour" (A prática essencial do amor) e continua a traduzir outras obras do autor, dentre elas, um manual clássico de formação dos frades carmelitas, o "Institutio Primorum Monachorum", em latim medieval.

Cacia Valeria

Primeira ocupante da Cadeira nº 12, cuja Patronesse é a educadora gloriense Maria da Glória Costa. Embora tenha nascido no município de Gararu, foi registrada como natural de Nossa Senhora da Glória. Filha de Manoel Elias de Rezende e Maria de Lourdes Santos Resende, sua paixão pelo sertão nasceu ainda na infância, através das idas e vindas à residência de seu avô, que lhe contava histórias de sua juventude e do lugar onde vivia. Licenciou-se em Pedagogia e História, pela Universidade Tiradentes, especializou-se em Psicopedagogia Clínica e Institucional, pela Faculdade São Luís de França, e Docência e Tutoria em Ensino à Distância, pela Universidade Tiradentes e, Em 2014, concluiu o mestrado em Educação, também pela Universidade Tiradentes, defendendo a pesquisa intitulada "Educação no sertão: memórias e experiências das professoras no alto sertão sergipano (1950-1970)". Entre suas publicações acadêmicas, destacam-se "A contribuição da Escola Estadual Cícero Bezerra para a sociedade gloriense: (1963 a 1990)" e "Um grito no sertão: o cotidiano e arte de Véio", produzido em co-autoria com as colegas Shaquele Santos Barros e Fernanda dos Santos. Atualmente, participa de dois Grupos de Pesquisa: "Sociedade, Educação, História e Memória" e Políticas Públicas, Gestão Socioeducacional e Formação de Professor". Como se pode verificar, seu objeto de estudo é sempre o sertão, tema que desencadeia nessa dedicada estudiosa a paixão e muita pesquisa. E-mail: caciavaleriar@gmail.com.

Carlos Alexandre

Primeiro ocupante da Cadeira nº 13, cuja Patronesse é a educadora Monte-alegrense Maria Etelvina Nunes Ferreira. Natural do município de Capela, Sergipe, Carlos Andrade de Aragão, agricultor e açougueiro, e Rose Meire Nascimento Aragão, lavradora e dona de casa. É o segundo dos sete filhos do casal. Formou-se em Letras Português/Inglês pela Universidade Tiradentes em 2003 e concluiu o Mestrado em Letras pela Universidade Federal de Sergipe em 2012. Além disso, fez especialização em Letras e Educação à Distância. Atualmente, é efetivo da rede estadual, lecionando no Colégio Estadual 28 de Janeiro, em Monte Alegre, e é professor tutor II da Universidade Tiradentes no polo desse município desde de 2006. Trabalha com pesquisa na área de Língua Portuguesa com ênfase em Análise do Discurso e é Membro efetivo da Academia Literária do Amplo Sertão Sergipano (ALAS), Titular da Cadeira nº 28. Carlos Alexandre organizou o I Concurso de poesia do Colégio Estadual 28 de Janeiro (2014), coordena o grupo de estudo "Poetas Modernos", que desenvolve o projeto "A Poesia indo à Escola" com alunos do Ensino Fundamental e Médio. É um dos idealizadores do Encontro de Escritores Monte-Alegrenses e Convidados e organizador da 1ª antologia, fruto desse encontro. E-mail: cana_aragao@yahoo.com.br.

Lucas Lamonier

Primeiro ocupante da Cadeira nº 14, cuja Patronesse é a educadora gloriense Maria Iracema Santos. Natural de N. Sra. da Glória (SE). Lucas Lamonier é filho do casal José Everlando dos Santos (in memoriam) e Maria do Carmo Silva Santos. Licenciado em Letras/Português, Bacharel em Administração, Pós-graduado em Literatura Brasileira e Portuguesa, Pós-graduando em Docência e Tutoria do Ensino à Distância, Mestrando em Ciências da Educação, Professor de Língua Portuguesa, Professor de Teologia Missionária na EFTEL da Diocese de Propriá, Locutor na FM Boca da Mata, Mestre de Cerimônias, Secretário Paroquial de Nossa Senhora da Glória. É autor do livro de poesias Janelas da Alma (2015) e do livro Unidos pelo amor, abraçados pela fé (2015). Participou das antologias; Seleta do I Encontro Sergipano de Escritores (2013), Abrindo ALAS (2014), I Encontro dos Escritores Canindeenses e convidados (2014), Antologia Poética - Prêmio Poesia Livre (2015), II Encontro dos Escritores Canindeenses e Convidados (2015), Tempo de Poetar (2015), Seleta do III Encontro Sergipano de Escritores (2015), Literarte Celebra Sergipe (2015). Participou também do Guia Perfil do Comércio de N. Sra. da Glória - Coisas para fazer (2015). É membro fundador da Academia Literária do Amplo Sertão Sergipano - ALAS, titular da Cadeira n° 20, patroneada pelo poeta sergipano Santo Souza. Idealizou o I Encontro Gloriense de Escritores e organizou a antologia Um Sertão de escritores, uma Glória de leitores (2015), fruto desse evento. E-mail: lucaslamonier@hotmail.com.

Joelino Dantas

Primeiro ocupante da Cadeira nº 15, cujo Patrono é o poeta sergipano Hermes Floro Bartolomeu de Araújo Fontes. Natural de N. Sra. da Glória (SE). Joelino Dantas é filho do casal Jonas de Oliveira Dantas e Esmeralda de Oliveira Dantas. Fez Licenciatura Curta em Estudos Sociais pela Universidade Federal de Sergipe e Licenciatura Plena em Pedagogia pela Faculdade Pio X. É ainda pós-graduado em Planejamento Educacional pela Universidade Salgado de Oliveira, Rio de Janeiro. Professor aposentado da Secretaria de Estado da Educação de Sergipe, foi supervisor do Movimento de Educação de Base e atuou efetivamente nos movimentos das Comunidades Eclesiásticas de Base, na Diocese de Propriá, durante a década de 1980. Sua estreia nas letras se deu em 1984, quando publicou artesanalmente o livro "Histórias que ouvi e escrevi". Teve poemas publicados no Jornal Mundo Jovem, em Porto Alegre/RS e foi homenageado, em 2006, no projeto "O poeta, o vinho e o violão", do Sesc/Centro, em Aracaju. Em 2015, lançou na III Bienal do Livro de Itabaiana e na I Festa Literária de Sergipe - FLISE - seu livro de poemas "Das Cinzas, Um Grito de Liberdade". Ainda em 2015, integrou a Antologia Poética de Sergipe, lançada pela Academia Sergipana de Letras e, em 2016, integrou a Antologia do I Encontro Sertanejo de Escritores, em Aleixo, Sergipe.

Leunira Batista

Primeira ocupante da Cadeira nº 16, cuja Patronesse é a educadora Maria Helena de Andrade Pereira. Natural de Nossa Senhora da Glória, nascida em 23 de março de 1950, é a quarta filha do casal José Batista Sobrinho e Eliza Vieira Santos. Casou-se com José Alves de Sousa, auditor técnico da Secretaria de Estado da Fazenda, com quem teve três filhos Luiz Armando, Fábio Henrique e Lyse Anne. Estudou o curso primário no Educandário São Francisco de Assis, ingressou, posteriormente, na primeira turma do Ginásio Nossa Senhora da Glória e, em seguida, integrou também a primeira turma do Curso Pedagógico do Colégio Nossa Senhora da Glória, onde também fez o curso Técnico em Contabilidade. Graduou-se em Letras Português-Espanhol, pela Universidade Tiradentes. É jornalista, pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Sergipe. Iniciou suas atividades profissionais na década de 70, como supervisora do extinto Movimento Brasileiro de Alfabetização (MOBRAL). Em seguida, atuou como professora da Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (CNEC), no Ginásio Dom José Vicente Távora. Foi Supervisora municipal de Educação e Cultura, Secretária Municipal de Educação e Cultura, Professora estadual concursada, lecionando na Escola Estadual Cícero Bezerra e no Colégio Nossa Senhora da Glória. Na década de 80, foi aprovada como Auditora Técnica Tributária da Secretaria de Estado da Fazenda de Sergipe, atuando em Nossa Senhora do Socorro, Porto da Folha e Monte Alegre de Sergipe, chegando ao posto de chefia. Foi ainda Supervisora de Exatoria da região Oeste, com sede em Nossa Senhora da Glória, e, como substituta na mesma função, em Feira Nova. Função em que permaneceu até a aposentadoria. Já na adolescência escreveu seus primeiros poemas. Em 1978, foi co-autora do livro "Nossa Senhora da Glória e sua História", primeiro registro sistemático sobre a história do município. A partir de 2012, intensificou sua atuação nas letras. Participou do "I Encontro Sergipano de Escritores", integrando a seleta publicada no ano seguinte. Em 2014, lançou seu livro "O Espelho da Felicidade" e integrou as antologias: "Abrindo ALAS", "II Encontro Sergipano de Escritores" e "1° Encontro dos Escritores Canindeenses & Convidados". Tornou-se fundadora da Academia Literária do Amplo Sertão Sergipano (ALAS), ocupando a cadeira nº 3, cujo Patrono é Marcelo Déda Chagas. Em 2015, participou das antologias: "Um Sertão de Escritores, uma Glória de leitores", "3° Encontro Sergipano de Escritores", "1° Encontro de Escritores Monte Alegrenses & Convidados" e "II Encontro de Escritores Canindeenses & Convidados". Nesse ano ainda foi agraciada com o certificado de Honra ao Mérito da AGL. Participou de todas as oficinas e seminários promovidos pela AGL neste ano e no ano seguinte. Em 2016, recebeu o certificado de Honra ao Mérito no "1° Encontro Sertanejo de Escritores" e participou ainda da "I Antologia Poética de Sergipe - Poetizando a Vida" e da antologia do "I Encontro Sertanejo de Escritores em São Miguel do Aleixo".

André Luis

 Primeiro ocupante da Cadeira nº 17, cujo Patrono é o poeta sergipano José Santo Souza. Natural de Aracaju, reside em Nossa Senhora da Glória, Sergipe, Brasil. O Décimo segundo filho da linhagem de Maria Soares Barboza Santos e Antonio Manoel dos Santos. Em meio aos estudos foi que percebeu que sempre foi um amante da literatura e ainda na adolescência começou a escrever poemas líricos, e crônicas além de pesquisas acadêmicas. Técnico em Secretaria Escolar - PROFUNCIONÁRIO (2010), licenciado em Matemática (UNIT/SE, 2009) e em Geografia (UFS/SE, 2014). Pós-graduado em: Didática e Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade São Luís de França (2011), Gestão e Educação pela Faculdade Pio Décimo (2013), Especialização Direitos Infanto-juvenis no ambiente Escolar "Escola que protege" (2015), pela Universidade Federal de Sergipe. Antologias Participantes: 1º Encontro dos Escritores Canindeenses e Convidados - (2014); 1º Encontro Gloriense de Escritores - (2015); II Encontro dos Escritores Canindeenses e Convidados - (2015); 1º Encontro dos Escritores Monte-alegrensses e Convidados - (2015); Concurso Nacional Novos Poetas - Poesia Livre - (2015); I Antologia Poética de Sergipe - (2015); Litearte celebra Sergipe - (2015); II Encontro Gloriense de Escritores e Leitores - (2016); Seleta do 4º Encontro Sergipano de Escritores - (2016); 1º Encontro Sertanejo de escritores - (2016); Concurso Nacional Novos Poetas - Poesia Livre - (2016); 3º Encontro de Escritores Canindeenses e Convidados - (2016); 5º Encontro Sergipano de Escritores - (2017); Encontro Gloriense de Escritores e Leitores - (2017); Encontro Gloriense de Escritores e Leitores - Um mar de expressões de um sertão de Glória e Literatura - (2017); III Encontro de Escritores Monte-alegrenses e convidados - (2019); Encontro Gloriense de Escritores e Leitores - versos de glória na prosa do sertão - (2020); Vidas sem Preconceito - I Antologia LGBTQIAP+ de Sergipe - (2021); Vento no Arco-Íris - Antologia LGBTQIA+ (2021); IV Encontro Sertanejo de Escritores e Leitores (2021). Membro Correspondente da Academia de Letras, Música e Artes de Salvador (ALMAS), Salvador, Bahia e da Academia Canindeense de Letras e Artes (ACLAS), Canindé de São Francisco, Sergipe. Membro Efetivo da Academia Gloriense de Letras cadeira nº 17, Patrono Santo Souza, Nossa Senhora da Glória, Sergipe. Membro Fundador da Academia Municipalista de Sergipe, Cadeira nº 105, Patrona Maria Iracema Santos, representando Nossa Senhora da Glória, Sergipe. Autor dos livros: Faces - diversas imagens poéticas (2021) e Ocultos Poéticos (2021).

Kelber Rodrigues de Souza

Primeiro ocupante da Cadeira nº 18, cujo Patrono é o poeta sergipano Joaquim do Prado Sampaio Leite. Natural de Aracaju, nascido em 10 de maio de 1976. Filho de Pedro Rodrigues de Souza e Maria de Deus Gouveia de Souza, sempre estudou em escolas públicas (Ensino Primário na Escola Estadual John Kennedy e Segundo Grau no Colégio Estadual Professor João Costa, antigo Costa e Silva). Graduado em Letras/Português e Pós-Graduado em Docência e Tutoria em Ensino à Distância pela UNIT. Trabalhou como Coordenador de Educação Especial e como Coordenador do Ensino Médio na Diretoria Regional de Educação - DRE'7, e como Professor Tutor na UNIT, vinculado ao curso de Letras. Atuou como professor - Ensino Médio - no Colégio Estadual Manoel Messias Feitosa, em Nossa Senhora da Glória, e no Colégio Estadual Professor José Augusto da Rocha Lima, em Gararu/SE, pela SEED/SE. Ultimamente atua como Professor Tutor do CESAD/UAB/UFS, vinculado ao curso de Letras Português e Professor da SEE/AL na Escola Estadual Bráulio Cavalcante, em Pão de Açúcar/AL. Ministrou um curso no Instituto Superior Antonio Ruiz de Montoya na Argentina. Tem poesias publicadas na Revista Juglaría em Pousadas/Missiones/Argentina, e nas Antologias: Abrindo ALAS, II Encontro de Escritores Canindeenses e Convidados, Seleta do III Encontro Sergipano de Escritores e na antologia do I Encontro dos Escritores Monte-Alegrenses e Convidados. É Membro Efetivo da Academia Literária do Amplo Sertão Sergipano - ALAS, ocupando a Cadeira 29.

Maria do Carmo Sousa

Primeira ocupante da Cadeira nº 19, cujo Patrono é o romancista sergipano Amando Fontes. Natural do povoado Angico/Nossa Senhora da Glória, nascida em 11 de abril de 1969. Filha de Generino Francisco de Souza e Maria de Lourdes Souza (in memoriam), fez estudos iniciais na Escola Municipal 13 de Maio, graduada em Letras pela Universidade Federal de Sergipe (2001), pós-graduada em Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa pelo Instituto Internacional de Pós-Graduação e Extensão do Paraná-IBEPEX (2003), mestra em Letras pela Universidade Federal de Sergipe (2012), é professora efetiva da redes estadual e municipal de ensino. Participou da antologia "A Glória das Letras no Sertão das Palavras" (2016) com o conto a "Vingança", escreveu o artigo "O Sistema SAEB e as relações de poder", publicado nos Anais do Congresso de Estudos Linguísticos da Universidade de São Carlos/SP (2011), Participou do livro "Ao mestre com carinho" publicando, em trabalho conjunto com os professores Manuela Ramos da Silva e Jorge Henrique Vieira, o 20° capítulo desta obra, que constitui uma análise do filme "Escritores da Liberdade". Atualmente desempenha suas atividades na Secretaria Municipal de Educação, onde vem atuando desde 2013 como orientadora dos professores alfabetizadores no Pacto Nacional pela Alfabetização na idade Certa.

Rossemágne Alves dos Santos

Primeiro ocupante da Cadeira nº 20, cujo Patrono é o religioso Dom José Brandão de Castro. Natural de Nossa Senhora da Glória, nascido em 05 de outubro 1959, filho de José Alves dos Santos e Josefa Freire dos Santos. É de sua tenra idade que datam seus primeiros escritos poéticos. Trabalhou por alguns anos com ilustríssimo Padre Leon Grégoire, Patrono-Mor da AGL, a quem ajudou em sua obra social. Em 1977, fixou residência em Propriá, onde estudou no Colégio Diocesano, entre 1977 a 1979, dando seguimento aos estudos no Colégio Polivalente, de 1981 a 1984. Amante da prática de esportes, foi campeão de futsal, handball, voleibol e basquete, durante os jogos estudantis da primavera de 1979, pelo Colégio Diocesano de Propriá. Posteriormente, tornou-se atleta de futebol profissional, atuando no Esporte Clube Propriá e no América Esporte Clube e participou de campeonatos amadores em Nossa Senhora Da Glória. Organizou passeios ciclísticos e campeonatos de futsal e futebol amador em Propriá e, recentemente, foi coordenador do Comitê Olímpico Rio 2016 nessa cidade, sendo um dos condutores da Tocha Olímpica. Participou ainda da construção da Creche e do Jardim de Infância São Vicente de Paulo (1976 e 1984), sendo Diretor deste estabelecimento durante 28 anos. Nas letras, conta atualmente com uma produção de mais de 300 poemas. Consagrou-se como o vencedor do 1° Concurso de Poesia Falada de Propriá, em 1985. Passou a coordenar por vários anos o referido concurso, que lhe rendeu o prêmio de honraria poética, concedido pelo Município de Propriá, em 2016. Assumiu, nesse mesmo ano, o cargo de Secretário de Cultura e Esportes daquele mesmo Município.

Adebaldo Feitosa de Sousa Júnior

Primeiro ocupante da Cadeira nº 21, cujo Patrono é o intelectual sergipano Joaquim Prata Souza. Nascido em 12 de novembro de 1983 em Nossa Senhora da Glória, Sergipe. Filho de Adebaldo Feitosa de Sousa e Maria Adgenil de Santana Sousa, desde cedo recebeu deles o incentivo aos estudos. Uniu seu gosto pela leitura ao seu amor pelo desenho que o acompanha desde criança, época em que se tornou um ávido leitor de histórias em quadrinhos, modalidade que o lançou no mundo das letras. Iniciou sua formação no antigo Pré-Escolar do município, atualmente Escola Estadual Evangelina Azevedo. Entre 1991 e 1992 cursou os dois primeiros anos do atual Ensino Fundamental Menor no Colégio Estadual Cícero Bezerra. No ano seguinte, 1993, mudou-se com sua família para Aracaju, onde concluiu a Educação Básica. Entre o fim do Ensino Fundamental e o início do Médio, esboçou suas primeiras tentativas na escrita, embalado pela imaginação fértil e pelos enlevos sentimentais próprios da adolescência. Produziu pequenos contos, já marcados pela fantasia e pelo suspense, elementos que caracterizam ainda hoje seus textos, além de poemas e algumas letras de músicas. Ingressou no curso de Licenciatura Plena em História em 2002 e o concluiu em 2006. Em meados de 2009, retornou à sua cidade natal como professor contratado para o mesmo Cícero Bezerra, onde trabalhou até o ano seguinte. Trabalhou em seguida na rede particular do município. No ano de 2012, ingressou nas redes municipal e estadual de ensino de Nossa Senhora da Glória. Em 2015, participou da antologia "Um Sertão de escritores, Uma Glória de Leitores!" do I Encontro Gloriense de Escritores (EGE), com as crônicas "Apagão" e "O Menino, o Barbeiro, o Pássaro e a Gaiola". No ano seguinte, voltou a participar do II Encontro Gloriense de Escritores e Leitores (EGEL), desta vez com a crônica "O Abraço".É entusiasta da cultura e da propagação da leitura e do exercício da escrita criativa e neste ano de 2017, iniciou, ao lado do Professor Jorge Henrique, as Oficinas Criativas de Produções de Contos, direcionadas aos alunos dos Ensino Fundamental e Médio deste município.

Em edição.

Em edição.

Em edição.

Primeira ocupante da Cadeira nº 25, cuja Patronesse é a escritora  sergipana Alina Paim. Nascida em agosto de 1994, em Nossa Senhora da Glória. É doutoranda em Letras-Estudos Literários pela Universidade Federal de Sergipe, licenciada em Letras-Português e mestra em Letras-Estudos Literários pela mesma instituição. Professora. Fundadora do clube de leitura Leia Mulheres Glória/SE.  

Em edição.

Em edição.

Membros Correspondentes

Em edição.

José Sergival da SIlva

Primeiro ocupante da Cadeira nº 02 de Membros Correspondentes, cujo Patrono é o poeta sergipano João Silva Franco (João Sapateiro). Natural de Nossa Senhora da Glória, Sergival é poeta e declamador. Participou de diversos saraus e antologias literárias nacionais e internacionais, conquistando prêmios em concursos literários como no Concurso Nacional Gregório de Matos, Concurso Internacional Hermanos, O poeta o vinho e o violão, Aperitivo Poético, e, recentemente, obteve o primeiro lugar no Prêmio de Poesia Popular João Sapateiro, com o poema "Ode ao Sapateiro". Na Literatura de Cordel, conquistou o primeiro lugar no concurso cultural de aniversário do Petroclube de Aracaju/SE com um livreto que narra a história do clube, além de ter realizado projetos institucionais na Petrobras Sergipe, em parceria com os principais cordelistas deste estado, como o lendário Mestre João Firmino (em memória), e ter elaborado trabalhos didáticos para os funcionários utilizando-se deste formato literário para tratar de saúde, segurança e meio-ambiente. Boa parte de suas composições musicais utilizam-se das principais métricas do cordel, além da apresentação de xilogravuras em seu figurino e nos painéis de cenários de seus shows. É autor do livro SEMENTEAR, de poesias e contos, que foi lançado na Feira Internacional do Livro de Salvador e na Feira Internacional do Livro de Havana, em Cuba, onde esteve autografando sua obra. É membro do M.A.C (Movimento de Apoio Cultural) da Academia Sergipana de Letras, onde ocupa a Cadeira nº 07, e da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, onde ocupa cadeira do Quadro de Pesquisadores daquela casa. Faz parte também de vários grupos, como o Grupo Cultural Pórtico de Poesias (BA) e da Casa Lima Barreto (RJ).

José Bezerra Lima Irmão

Primeiro ocupante da Cadeira nº 03 de Membros Correspondentes, cuja Patronesse é a educadora gloriense Cleodice Tavares Lima. Natural de Alagadiço, município de Frei Paulo. Filho de Manoel de Pastora e de Pastorinha Bezerra. Aos cinco anos, sua família se mudou para a Barra das Almas, no município de Glória, e depois para o povoado Piabas. Foi aluno da professora Cleudice Tavares, escolhida para pratronear a cadeira que passou a ocupar. Reside atualmente em Salvador, mas pretende voltar a Sergipe, assim que se aposentar. Foi funcionário do Banco do Brasil, trabalhou na Petrobrás, na Prefeitura de Aracaju, foi, por três anos, Fiscal de Rendas de Sergipe, e, atualmente, é Auditor Fiscal do Estado da Bahia. É autor do texto do Regulamento do ICMS do Estado da Bahia, que vigorou de 1997 até 2012. Também é autor do Manual de Fiscalização de Tributos do Estado da Bahia. É ainda co-autor do Regulamento do Processo Administrativo Fiscal e do Código Tributário do Estado da Bahia. É, atualmente, membro do Conselho de Contribuintes do Estado da Bahia, órgão que julga processos administrativos da área tributária. Fora da área jurídica e dos temas tributários, é pesquisador apaixonado do cangaço e de tudo o que diz respeito à história do Nordeste, envolvendo suas figuras míticas, tais como Padre Cícero, Antônio Conselheiro, José Lourenço, Severino Tavares e Quinzeiro, e os trágicos episódios de Canudos, Caldeirão, Pau-de-Colher, Serra do Rodeador e Pedra Bonita do Reino Encantado ou Pedra do Reino. Fruto de onze anos de pesquisa, publicou um imenso tratado sobre o cangaço "Lampião - a Raposa das Caatingas". A obra, de 736 páginas, sucesso de público e de crítica, em pouco mais de um ano, já se encontra na terceira edição. E-mail: josebezerra@terra.com.br

Rogério Fernandes Lemes

Primeiro ocupante da Cadeira 04 de Membros Correspondentes, cujo Patrono é o poeta sul-mato-grossense Manoel Wenceslau Leite de Barros (Manoel de Barros). ROGÉRIO FERNANDES é o nome artístico de Rogério Fernandes Lemes. Nasceu no dia 13 de maio de 1976 em Amambai, MS. É filho de Valdir dos Santos Lemes e de Izaura Fernandes Lemes. Casado com Kassia Mariano, pais da Nathália e do Israel. Reside em Dourados, MS. É servidor público estadual; formado em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD); Jornalista; Membro da Academia Douradense de Letras e da Academia de Letras do Brasil/Seccional MS. Publicou os seguintes livros: "Amambai com poesia" em 2013; "Subjetividade na Pós-modernidade" em 2015 (recorde de vendas no Mato Grosso do Sul); e, "Palavras amontoadas" em 2017. Em fevereiro de 2017 criou o Programa Literatura Brasil, transmitido na internet pela Rádio Vidas, da cidade do Porto em Portugal, toda segunda-feira às 19h30 hora de Brasília (acesse pela internet: www.radiovidas.caster.fm). É o idealizador e Editor-Chefe da Revista Criticartes e da Biblio Editora. Em maio de 2017 a Revista Criticartes recebeu dois prêmios literários em Salvador, na Bahia: o prêmio Causas Imortais 2016 e o Troféu Elos de Comunicação. No dia 7 de julho de 2017, foi eleito Vice-Presidente da União Brasileira de Escritores em Mato Grosso do Sul (UBEMS). É o idealizador e o primeiro Presidente da ACAL (Academia Amambaiense de Letras), gestão 2018/2020. Em dezembro de 2019, recebeu o título de Cidadão Douradense. Em 2021. os três primeiros volumes de seus livros infantis foram adotados pela Secretaria Estadual de Educação, do Estado de Mato Grosso do Sul.

Aderaldo Luciano dos Santos

Primeiro ocupante da Cadeira 05 de Membros Correspondentes, cujo patrono é o poeta paraibano Manuel D'Almeida Filho. Aderaldo Luciano é doutor e mestre em Ciência da Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, poeta, escritor e músico e trabalha com os conceitos fundamentais da poética do nordeste brasileiro. Autor dos livros Apontamentos Para uma História do Cordel Brasileiro (Conhecimento Editora, 2011), O Auto de Zé Limeira (Confraria do Vento, 2008, poesia). Co-autor em Violência Simbólica e Estratégias de Dominação: produção poética de autoria feminina em dois tempos (Editora da Palavra, 2010) e Quem Conta um Conto Estudos Sobre Contistas Brasileiras Estreantes Nos Anos 90 e 2000 (Tempo Brasileiro, 2009) ambos organizados pela professora Dra. Helena Parente Cunha. Até 2008 foi um dos editores e colunistas da Revista Confraria on line. Foi coordenador editorial da Editora Luzeiro LTDA, especializada em cordel. Coordena o projeto Roda de Cordel - Círculo de Estudos Sobre o Cordel Brasileiro, em São Paulo-SP, e Roda de Cordel Leituras, projeto de leitura de cordéis em escolas e comunidades rurais brasileiras. Como músico tem se dedicado a pesquisar a música formadora do Brasil profundo, notadamente a oriunda do nordeste brasileiro. Daí surgiram os projetos Cantos Primevos Para Um Brasil Profundo, Brazilian Xote Social Music e POEZIA TRADICCIONAL DO NORDHESTE. É professor convidado da Universidade das Quebradas, curso de extensão do PACC-Projeto Avançado de Cultura Contemporânea da UFRJ. Em 2011 foi palestrante convidado do Europalia international arts festival, Ano do Brasil na Bélgica, com conferência na Bibliothèque Médiathèque Le Phare, em UCCLE, e performance musical no Club.Brasil em Bruxelas.

Geraldo Oliveira Aragão

Primeiro ocupante da Cadeira nº 06 de Membros Correspondentes, cuja Patronesse é a educadora gloriense Ermínia Cecília Santos. Natural de Nossa Senhora da Glória, é o décimo filho do primeiro casamento de José Machado Aragão com Cecília Maria Oliveira Aragão. Até seus 19 anos morou na roça, plantando, curtindo couro e quebrando pedra, tem "orgulho" de ter colaborado com o calçamento das ruas da sua cidade. Na sua infância, alfabetizou-se no sítio Panelas com a professora Ermínia Cecília Santos. No início de 1969, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde formou-se em Técnico de Estatística pelo Colégio Comercial Professor Clóvis Salgado. Graduaduado em Estatística e Processamento de Dados pela Faculdade do Centro Educacional de Niterói - FACEN, atualmente é professor público de estatística do Estado do Rio de Janeiro. Colaborou para a fundação da Biblioteca Comunitária Tobias Barreto de Menezes, idealizada pelo aquidabãense radicado no Rio de Janeiro, Evando dos Santos (o Homem-Livro), e, por indicação deste, tornou-se Benemérito da Academia Brasileira de Literatura de Cordel - ABLC da qual é Vice-Presidente e teve seu nome inscrito na "Calçada das Estrelas", no Largo do Bicão, Bairro Vila da Penha, RJ, projeto também idealizado por Evando dos Santos.

Vera Duarte Lobo de Pina

Primeira ocupante da Cadeira nº 07 de Membros Correspondentes, cujo Patrono é o poeta cabo-verdiano Corsino Fortes. Desembargadora, formada em Direito pela Universidade Clássica de Lisboa. Membro das Academias Caboverdiana de Letras, de Ciências de Lisboa, Gloriense de Letras. É investigadora correspondente do Centro de Humanidades/CHAM da Universidade Nova de Lisboa. 

Foi Ministra de Educação Ensino Superior, Presidente Comissão Nacional Direitos Humanos e Cidadania, Conselheira do Presidente da República e Juíza Conselheira do Supremo Tribunal de Justiça. Integrou organizações como Centro Norte-Sul Conselho d`Europa, Comissão Internacional Juristas, Comissão Africana Direitos do Homem e Povos, Associação Mulheres Juristas e Federação Internacional de Mulheres de Carreira Jurídica.

Foi condecorada pelo Presidente República com a Medalha Ordem do Vulcão (2010); pelo Governo Cabo Verde com a Medalha de Mérito Cultural (2005); recebeu os prémios Norte-sul DH do Conselho d`Europa (1995); Tchicaya U Tam´si de poésie africaine (2001) e Sonangol de Literatura (2004).

Publicou Amanha Amadrugada (1993), O Arquipélago da Paixão (poesia, 2001); A Candidata (Ficção, 2004); Preces e Súplicas ou os Cânticos da Desesperança (poesia, 2005); Construindo a Utopia (Ensaios, 2007); Ejercicios poéticos (poemas em Espanhol e Francês, 2010); A Palavra e os Dias (Crónicas, 2013); A Matriarca - uma estória de mestiçagens (romance, 2017); De Risos & Lágrimas (Poesia, 2018) e a Reinvenção do mar (Antologia poética 2018), Cabo Verde um roteiro sentimental viajando pelas ilhas da sodad do sol e da morabeza (prosa, 2019).

Em edição.

Em edição.

Em edição.

Membros Honorários

Nair Aragão Feitosa

Agraciada com o título de Membro Honorário da Academia Gloriense de Letras em 12 de dezembro de 2014. Nascida no dia 25 de janeiro de 1920 em Nossa Senhora da Glória, filha de Manoel Josino Aragão e Tereza da Purificação Aragão. Nair Aragão Feitosa foi professora municipal desta cidade nos anos de 1941 a 1947. Nesse período, fez curso de graduação na Escola Normal em Aracaju/SE, mas, por motivo politico, foi despedida do cargo de professora. Pouco tempo depois, exerceu o cargo de Secretária municipal por cerca de 2 anos. Em 03 de setembro de 1950, casou-se com Pedro Alves Feitosa, primeiro Tabelião desta cidade. De sua união nasceram duas filhas. Em 1954, abriu uma escola particular para ensinar bordados e crochê manuais, gratuitamente, em cumprimento à promessa feira e à cura de sua primogênita, que havia sido acometida por poliomielite aos dois anos de idade. Em 1960, tendo falecido seu esposo, assumiu o cargo de Tabeliã do 1° Ofício do município. À noite, cumprida sua jornada diária no cartório, lecionava, gratuitamente, em sua própria casa, adultos que não sabiam fazer o próprio nome. No final de 1988, aposentou-se.

Christina Bielinski Ramalho

Agraciada com o título de Membro Honorário da Academia Gloriense de Letras, na Cadeira de nº 02, em 09 de julho de 2016. Christina Ramalho é doutora em Letras pela UFRJ. Atuou como professora universitária de Teoria Literária e Literatura Brasileira por nove anos (1998-2006) na Universidade Veiga de Almeida (Rio de Janeiro) e dois na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2006-2008). Em 2010, após dois anos em Madri, retornou ao Brasil e deu início ao pós-doutorado em Estudos Cabo-verdianos na Universidade de São Paulo. Chegou a Sergipe em fevereiro de 2012 para tomar posse da vaga de Professora Adjunta de Literaturas de Língua Portuguesa e Estágio Supervisionado de Língua Portuguesa do Curso de Letras da Universidade Federal de Sergipe, campus Itabaiana. Aqui ofereceu vários cursos voltados à literatura e cultura a estudantes de Letras e à comunidade em geral, não só de Itabaiana, mas também de São Cristóvão. Assim, desenvolveu oficinas de criação literária e oficinas voltadas para a produção científica. Contribuiu também para a realização de eventos científicos em Sergipe, participando das comissões organizadoras de diversos eventos. Intermediou a vinda de profissionais de outras instituições nacionais e internacionais a Sergipe para ministrar cursos e palestras. Assim, vieram a Professora-Doutora Margaret-Anne Clarke, da universidade inglesa de Portsmouth (2013); o Professor-Doutor Saulo Neiva, da Université Blaise-Pascal, na França; o Professor-Doutor Fabio Mario da Silva (USP/Universidade de Lisboa) e os escritores cabo-verdianos Vera Duarte, Presidente da Academia Cabo-Verdiana de Letras, e David Hopffer Almada. Envolveu-se com a cultura do estado, estabelecendo relações produtivas com escritores e escritoras de Sergipe, e aproximou-se da Academia Gloriense de Letras, por meio da qual ofereceu oficinas literárias em Nossa Senhora da Glória (2015) e intermediou a vinda do poeta pernambucano/paulista Frederico Barbosa para ministrar oficina sobre criação lírica também em Glória (2015). Atualmente, em ação conjunta com a Academia Cabo-Verdiana de Letras e a Academia Gloriense de Letras, organiza uma antologia de textos literários cabo-verdianos e sergipanos, que resultará em livro a ser publicado em setembro de 2016 e divulgado no Brasil e em Cabo Verde com o intuito de levar ao público aspectos culturais de Sergipe e de Cabo Verde. Em 2015, apresentou à Secretaria de Educação de Sergipe o ambicioso projeto "Sergipe é poesia!", que tem tudo para trazer a Sergipe diversos resultados importantes no âmbito do incremento na presença da poesia nas salas de aula e nos espaços culturais do estado. Em nível nacional, foi jurada da categoria contos e crônicas da versão 2015 do Prêmio Jabuti. Suas maiores contribuições para o desenvolvimento cultural da UFS e do estado de Sergipe em geral foram quatro. Primeiramente, a criação, em 2013, do primeiro centro internacional de pesquisas da UFS, o CIMEEP (Centro Internacional e Multidisciplinar de Estudos Épicos). Em segundo lugar, estão as ações voltadas para levar poesia para escolas sergipanas (boa parte delas com a participação do professor Carlos Alexandre). Foram mais de 1.200 estudantes do Ensino Básico de quatorze diferentes escolas envolvidos nos projetos, que resultou, entre outros, no livro Olha o poema na escola (2014), organizado por ela e pelo Professor-Doutor Beto Vianna. A terceira contribuição refere-se à "Oficina de Criação Literária Jovens Cronistas do Sertão", elaborada com o professor Carlos Alexandre e cujo projeto foi aprovado pelo Ministério da Cultura, tendo obtido a maior nota entre todos os projetos apresentados em nível nacional. O livro, fruto dessa oficina, lançado em junho de 2016, traz 60 crônicas de jovens cronistas, excelentes estudantes, que, por conta da participação no projeto têm hoje uma nova visão acerca de sua realidade e também acerca da importância da literatura. A última contribuição se refere à criação da coleção "Série acadêmica - Estudos Linguísticos e Literários", publicada pela editora Artner Comunicação. A coleção já com 4 títulos publicados e outros 3 em andamento, reúne artigos de mestrandos e mestres sergipanos e promove a visibilidade de pesquisadores da nova geração. Carioca, nascida em 1964, poeta, contista e crítica literária, com 26 livros publicados (oito deles após sua chegada a Sergipe), Christina Ramalho, apesar de estar em Sergipe há pouco tempo, já se considera também sergipana.

Em edição.

Em edição.

Em edição.