AGL homenageia educadores pioneiros de Sergipe

Com o intuito de homenagear os professores e professoras que foram protagonistas das obras lançadas pelos pesquisadores Jouberto Uchôa de Mendonça e Maria Lúcia Marques Cruz e Silva, "Educadores de Sergipe à luz da República 1911-1971 (Re) construindo trajetórias", e da professora Cacia Valeria de Rezende, "Educação no sertão: memórias e experiências das professoras no Alto Sertão sergipano (1959-1970)", a Academia Gloriense de Letras (AGL) promoveu, na manhã do sábado, 30/10/17, uma Mesa Redonda sobre "As trajetórias dos educadores pioneiros de Sergipe".

O espaço da Câmara Municipal de Nossa Senhora da Glória foi palco de um momento significativo para a vida de cada educador (a) e de seus respectivos familiares, que voltaram no tempo com as histórias relatadas pela professora Cacia Valéria quando fez uma brilhante exposição sobre o relato de 21 professoras do alto sertão sergipano, fruto de sua pesquisa de Mestrado. Logo em seguida, a pesquisadora Lúcia Marques convidou a todos para passearem pelo momento de ouro da educação sergipana, apresentando uma síntese da obra elaborada por esses dois visionários sergipanos. Foram 10 anos de pesquisa sobre os educadores sergipanos, reunindo 250 nomes de professores/professoras dos 75 municípios de Sergipe que doaram a sua vida pela educação do seu povo.

No momento da fala de cada pesquisadora, podíamos acompanhar a intensa emoção expressa no rosto de cada um (a) dos (as) homenageados (as), pois muitos desses educadores (as) estavam no auditório da câmara. Eram as lembranças de um tempo de dedicação total ao compromisso de educar filhos e filhas dos cidadãos/cidadãs do seu município. Viajamos por histórias que servirão de inspiração para não desistirmos de acreditar no amanhã, como bem frisou Lúcia Marques: "Se em algum momento se sentir desestimulado (a), abra este livro e leia a história de um desses educadores e verá o quanto você é capaz de superar qualquer obstáculo". Em nota, divulgada no dia seguinte ao evento, a pesquisadora Lúcia Marques acrescentou:

"O Sertão segipano está de parabéns. A Academia Gloriense de Letras tem procurado incentivar os jovens ao tempo em que valoriza os mais velhos na seara cultura. [...] O evento foi organizado pelos membros da AGL, nas pessoas do seu Presidente, Luca Lamonier, e dos membros Carlos Alexandre e Cacia Valeria, entre outros, salienta o esforço e o entusiasmo desses acadêmicos em poder levar para o seu município um grandioso momento cultural que dignifica o povo do sertão. Agradeço sensibilizada a homenagem e oportunidade de rever importantes figuras que empunharam com muita dignidade a bandeira da educação em décadas passadas. Nossas congratulações em nome também dos que fazem a Universidade Tiradentes".

Em nota, divulgada no dia seguinte ao evento, a pesquisadora Lúcia Marques acrescentou: "O Sertão segipano está de parabéns. A Academia Gloriense de Letras tem procurado incentivar os jovens ao tempo em que valoriza os mais velhos na seara cultura. [...] O evento foi organizado pelos membros da AGL, nas pessoas do seu Presidente, Luca Lamonier, e dos membros Carlos Alexandre e Cacia Valeria, entre outros, salienta o esforço e o entusiasmo desses acadêmicos em poder levar para o seu município um grandioso momento cultural que dignifica o povo do sertão. Agradeço sensibilizada a homenagem e oportunidade de rever importantes figuras que empunharam com muita dignidade a bandeira da educação em décadas passadas. Nossas congratulações em nome também dos que fazem a Universidade Tiradentes".

Após a exposição das pesquisadoras, o Presidente da AGL, Lucas Lamonier Silva Santos, instalou uma Sessão Especial da academia para concessão solene do CERTIFICADO DE HONRA AO MÉRITO a cada um dos bravos educadores (as) do alto sertão, em reconhecimento pelo legado cultural inestimável deixado por estes heróis e heroínas, que dedicaram a própria vida ao ato de transmitir o saber ao seu povo, de educar crianças e jovens ao longo de várias décadas, dando-lhes a oportunidade de transformarem o espaço à sua volta. Assim, a Academia cumpre mais uma das suas funções estatutárias, qual seja a de reconhecer e homenagear todos aqueles que de alguma forma contribuíram para o desenvolvimento cultural e educacional da região. A história da educação brasileira está interligada à vida de cada um desses (as) educadores (as) que destinaram uma boa parte de sua existência ao exercício do magistério. Os educadores pioneiros do estado de Sergipe caminharam e caminham lado a lado com essa história, transformando vidas e desenvolvendo seus municípios.

Carlos Alexandre Nascimento Aragão

Diretor de Projetos e Eventos (2017-2018)